Loading...

Almost a Song
com Joana Sá

Joana Sá · Piano, Toy Piano, Celesta, Percussão e Electrónica
Luís José Martins · Guitarra clássica, Percussão e Electronica

Sobre

Quase. Quase uma canção, familiar. Quase confortável, satisfação. A melodia não se fecha, não se afirma e a cantiga parte, partindo-se, sem nunca chegar. Não é uma renúncia, é um jogo que se dá a ouvir. As vanguardas musicais substituíram a afirmação musical por este novo desejo de dar a ouvir: as notas sustentadas da sarabanda nunca deixadas cair nos limites da memória, a rarefação da nota afinada em sons percutidos, as células repetidas, os "loops", as "malhas" sobrepostas sempre diferentes, as texturas inconstantes e a suspensão do clímax… e por quanto tempo? Almost a Song não deixa de ser um duo. E não apenas entre a guitarra e o piano. E apesar das ramificações eletroacústicas e dos instrumentos que, por vezes, sem nunca perder a força acústica dos seus gestos, são quase engolidos pelo próprio som. Joana Sá e Luís José Martins formaram um duo no ano de 2000 dedicado à interpretação de música contemporânea. Têm desenvolvido inúmeros projetos conjuntos dos quais se destaca o coletivo POWERTRIO com o harpista Eduardo Raon. Luís José Martins é membro do grupo Deolinda e Joana Sá tem desenvolvido sobretudo trabalho a solo, donde se destaca Through this Looking Glass. Percursos artísticos que confluem neste novo jogo de prazer e de liberdade que é Almost a Song.

Guilherme Proença

Discografia

Almost a Song, 2013 Shhpuma

Imprensa

João Moço
Diário de Notícias

"… é perceptível a extrema cumplicidade entre Joana Sá e Luís José Martins na liberdade e elegância com que abordam a música e os seus instrumentos. Será muito difícil este ano supercar uma obra tão desafiante quanto este Almost a Song."

 

Flur.pt
 

"Almost a Song está cheio de ideias, muitas ideias, compatíveis e benignamente incompatíveis, frutos da imaginação e brilhantismo de quem sabe muito bem o que está a fazer. E o que este powerduo está a fazer é deixar o seu nome na história de 2013. Soberbo."

 

João Lopes
Sound And Vision

"Quase canções, disco admirável. Admiravelmente elegante, elegantemente inclassificável – por certo um dos grandes discos da produção portuguesa dos últimos largos anos; e não é quase… é mesmo."


Pedro Sousa
Jazz.pt

"o álbum apresenta composições dos dois músicos cuidadosamente trabalhadas e enlaçadas (…) sendo ambos os músicos incrivelmente eficientes em desenvolver e segurar ideias. Cada mudança sente-se como uma porta que se abre, permitindo a passage de inesperadas brisas. Há mesmo algo de efabulatório, de fantástico, como um conto de fadas sem palavras."

 

Paulo Cecílio
bodyspace

"Joana Sá e Luís José Martins (…) uniram esforços em Almost a Song para nos dar uma música a espaços indefesa, a outros desafiante, indiferente nunca. Almost a Song, repetimos, engana: apresenta-nos quase-canções, mas é um (belíssimo) disco por inteiro."